contato@ivonelima.com.br

Paulo Afonso-BA, 19 de maio de 2022

Zé Carlos e Cícero Bezerra, mandatos que não cruzam os caminhos

Postado por:

Share on facebook
Share on whatsapp
page

PAULO AFONSO – Um político, goste ou não do seu estilo, não ocupa uma cadeira na Câmara Municipal, especialmente com uma eleição de disputa feroz como a de Paulo Afonso, sem que mereça respeito à sua empreitada. Quando ele chega lá, deixou para trás um sem número de concorrentes, gente possivelmente mais capacitada, com mais dinheiro etc., mas que não tiveram o mesmo êxito.

No caso dos vereadores do BTN, José Carlos Coelho (PRB) e Cícero Bezerra (PP), o primeiro aumentou sua votação em relação às disputas anteriores, e o segundo conseguiu o ingresso pela primeira vez.

A única semelhança entre eles termina na origem. Enquanto Zé Carlos voltou seu mandato para um acerto com a vontade da comunidade, sacrificando facilidades que todo vereador da base tem, Cícero, deu de ombros para questões consideradas polêmicas e viu nas tais facilidades na gestão um meio de reverter a chamada revolta da comunidade.

Ontem, mais uma vez, Zé Carlos muito à vontade, cobrou satisfações dos colegas em relação ao que acontece com a Embasa. A questão causa calafrios na maioria dos parlamentares que votaram a favor da permanecia da dita-cuja, e agora, não têm como explicar que a empresa não tenha melhorado em absolutamente nada o abastecimento de água. Alias, piorou e muito.

“Eu tô triste porque aqui nessa Casa aprovaram a permanência da Embasa [alguém gritou “a ladrona”] e no bairro Tancredo Neves, na minha casa tem mais de 15 dias que só chega água pingando nas torneiras, vejo o povo aparando água para tomar banho e fazer suas necessidades; então eu cobro aqui que os senhores que aprovaram cobrem dela, os senhores têm moral para isso, pois permitiram que ela ficasse. Onde estão os investimentos que seriam feito no bairro?, se alguém souber onde está sendo aplicado esse dinheiro, porque eu não sei?”, cutucou Zé Carlos.

Cícero, que ouvia tudo ao lado, não deu foi capaz sequer de dizer que vai fazer sua parte cobrando da empresa alguma satisfação.

O líder da bancada de situação, Marcondes Francisco (PSD) respondeu que, agora se sente realmente na obrigação de cobrar melhores resultados da Embasa, porque a Câmara fez sua parte legalizando a situação dela.

Nos bastidores, Zé Carlos disse que não deseja de forma alguma insucesso para Cícero. “Eu acho que quanto mais representantes do bairro, mas ele cresce, mas cada um escolhe o seu caminho.”

Pois é, talvez seja mais apropriado para quem ainda vai precisar do voto, poder passar não ao lado, mas junto e misturado com quem dá a cartada final.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.