contato@ivonelima.com.br

Paulo Afonso-BA, 26 de maio de 2022

A difícil escolha de Galinho

Postado por:

Share on facebook
Share on whatsapp
e41928b8-b387-4635-b760-f0d484847afb

PAULO AFONSO- Próximo de acabar os trabalhos no Legislativo, previsto para a quinzena do próximo mês, 2020 obrigará vereadores a mostrarem suas credências à população: então vão fazer quê?, por qual lado devem seguir?

Ingressado no meio por um sistema que não existe mais, o das coligações proporcionais, Mário Galinho (SD)  soube calcar seu espaço, abrindo um flanco no mundo das redes sociais até então inabitado, por incrível que possa parecer, mas foi o vereador do Perpétuo Socorro quem soube manejar melhor e otimizar sua passagem pelo Legislativo se utilizando das redes onde todos, invariavelmente vivemos hoje.

Então vamos aos fatos: apenas esse acerto comunicativo o credencia à disputa pela cadeira de Luiz de Deus (PSD)?, óbvio que não.

Ocorre que Galinho reúne outros dotes. Ousado, ainda coerente – apesar de Guiarone-, jovem e inteligente, se arriscou na disputa pela Assembleia do Estado, sendo vítima de piadas e cravou pouco mais de 8 mil votos. Isso não é desprezível. Apesar de entendermos que há diferenças agudas entre um pleito e outro.

A coisa é tão séria em torno do seu nome, variando na ponta das pesquisas instantâneas que, se os extremos, Luiz de Deus (PSD) e Anilton Bastos (Podemos) não se acertarem quanto ao rumo que irão tomar, Galinho, que neste momento ocupa o espaço político entre eles, toma, sem risco, o primeiro lugar. A questão aqui é sustentar a posição uma vez que entra em jogo as negociações pelas bases.

Evitando queimar etapas, o vereador não diz quem lhe dirá suporte para sustentar seus votos, em outras palavras: quem investirá em Galinho?

É preciso também reconhecer que o voto do eleitor pauloafonisno, segundo o resultado das urnas nos últimos pleitos, é conservador. Não é um eleitor dado a riscos. Contudo, mesmo estes estão saturados. E não é à toa que todos os pré-candidatos, a exceção do próprio Galinho – por ainda curtir a juventude-, estão atrás de nomes para refrigerar a atmosfera em torno si.

Aqui reside um agravante: de quem Galinho será antagonista?, nem mesmo o adversário é conhecido para que seu exército nas redes comece a combater.

Diante de uma imprecisão como esta; do perfil do eleitor, e das dificuldades de um jovem de enfrentar uma eleição crua como a de Paulo Afonso, não exagero dizer que o vereador precisa medir bem. É a hora mesmo?

Galinho já chegou a sua hora?

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.