contato@ivonelima.com.br

Paulo Afonso-BA, 25 de maio de 2022

Mais de uma década longe do poder, os 18,31% dos votos de Raimundo Caires cresceram no desgoverno de LD

Postado por:

Share on facebook
Share on whatsapp
f9500f63-bdf6-44bb-90bf-6caa3679b470

PAULO AFONSO – O Ex- prefeito Raimundo Caires (PRB) entrou para disputar a campanha de 2016, sem dinheiro, com as lembranças de sua gestão, apenas do que não deu certo, otimizado por uma máquina de moer reputações, enfrentou muitas dificuldades e cravou para o espanto geral: 10.358 votos, sem, vale ressaltar: fazer campanha propriamente.

Eis que, o historiador Luiz Ruben havia me explicado a matemática: “Todo ex-prefeito sai, com pelo menos 20% dos votos, manter essa margem vai depender da campanha.”

Batata! Nenhuma liderança em Paulo Afonso, seja jovem ou experiente, despreza o cálculo de Ruben, percebam que mesmo diante das circunstâncias desfavoráveis, Caires, cuja toalha foi à lona faltando duas semanas para o desfecho final, cravou 18, 31%.

Ah, mas têm os problemas da Justiça. Fosse assim Policarpo dos Santos, ex-prefeito de Glória, sabidamente sub judice, não teria perdido a eleição por 500 votos.

Eleição municipal é coração, é lembrança, é sangue no olho, e não um papel. Os votos não obedecem à lógica.

Daí por que, diante de uma gestão como miseravelmente faz Luiz de Deus (PSD), Raimundo tende a crescer. Tudo somado, entende-se porque ele poderia jamais anunciar que será vice de alguém.

O contra-ataque de Caires, pressiona as forças de oposição, e aqui convém dizer: Anilton Bastos (Podemos) que lhe vinham trazendo em banho-maria a também sair da toca.

Dito de outra forma: se a oposição não partir num blocão contra o sistema, arregimentando as forças possíveis, formando uma grande coalizão, os números frios de Ruben serão fatais.

Notem: cada prefeito sai, por baixo, com 20%, logo, aquele que aparelha o município, tendo a tiracolo, o legado de um outro ex-prefeito [Paulo de Deus], será um adversário difícil de ser derrotado, se do outro lado estiverem 3 ou 5 candidatos.

A matemática não permite delírio.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.