contato@ivonelima.com.br

Paulo Afonso-BA, 16 de maio de 2021

Após conhecer projeto de Santa Brígida, vereador Jailson Oliveira articula para ter usina solar em Paulo Afonso

Postado por:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
2ba535f4-94f1-4872-beeb-3c2e95963845

PAULO AFONSO – O vereador Jaílson Oliveira (DEM), esteve na última sexta-feira em Santa Brígida, acompanhado de secretários, a convite do engenheiro Leonardo Tenório, consultou da usina de energia solar Helio Energia, com sede em Fortaleza, porém de origem estrangeira (Austrália).

O vereador ficou impressionado com a economia que gera a energia advinda de fonte solar, frente a outras fontes como a energia gerada proveniente de usinas hidrelétricas.

Usina solar de Santa Brígida. Investimento de milhões e retorno garantido. Foto: Assessoria parlamentar.

A usina de Santa Brígida foi inaugurada recentemente pela multinacional com incentivo da gestão do ex-prefeito Gordo de Raimundo (PT).

De acordo com as contas feitas pelo vereador, a implementação de uma usina similar em Paulo Afonso geraria economia anual de mais de 3 milhões.

“A prefeitura de Paulo Afonso hoje tem um gasto aproximado de R$300.000,00 mil/mês, algo em torno de R$ 3.6 milhões/ano, com despesas relacionadas ao consumo de energia elétrica”, pontuou.

Na visão de Jaílson, a economia gerada pela opção de energia solar poderia ser aplicada em outras áreas.

O vereador saiu convencido da visita que é um caminho absolutamente viável e vai apresentar à Câmara Municipal um projeto relacionado a instalação de uma Usina Solar na cidade.

“Além de reduzir drasticamente a despesa com o consumo de energia elétrica, podendo alcançar tal economia, ao patamar de redução de 90%.”

Em Santa Brígida, segundo foi informado o vereador, com um investimento em torno de R$ 5 milhões, o retorno alcançado ocorreu no beneficiamento da população, passando a abastecer cerca de 800 a 900 casas populares.

Vale ressaltar que, o projeto do vereador Jailson Oliveira, em um primeiro momento atenderá a Prefeitura, através da administração, sendo que numa segunda etapa contemplará a parcela da população considerada “baixa renda”, isentando o pagamento da taxa de iluminação pública.

 

Reportagem: Assessoria Parlamentar/ Jailson Oliveira. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *