contato@ivonelima.com.br

Paulo Afonso-BA, 21 de maio de 2022

Paulo de Deus releva almoço sigiloso com Galinho, e agora ninguém é de ninguém

Postado por:

Share on facebook
Share on whatsapp
page

PAULO AFONSO – É inacreditável as cabeçadas que o vereador Mário Galinho (SD) deu nos últimos dias, quando afinou a voz para os erros do secretário de saúde, Guiarone Garibaldi – que empregou uma família na secretaria-, e não ouviu nem um piozinho do Galo, e agora permite que o articulador do governo, por ora né?, Paulo de Deus, ponha sua conduta de opositor convicto em suspeição, revelando na rádio cujo diretor de jornalismo [sumido dos comentários] o classifica de “profeta de barros dos dedinhos tortos”, para o espanto geral de quem deposita nele uma chance de ver a política se renovar.

A rigor, como disse há pouco, um interlocutor do governo ao Painel, na condição de anonimato, não há nada de mais em Galinho aceitar almoçar com qualquer político e sim, segundo a fonte, na condição de sigilo.

“Neste momento das articulações políticas, se faz necessário mesmo o sigilo, as conversas têm que ser discretas mesmo. Neste caso, Galinho se mostrou muito mais maduro do que Paulo de Deus. Não se expor ao eleitor neste momento se faz necessário. E nisto Galinho está certo. Ele foi republicano e aberto as conversas. Coisa que Paulo não o foi”, diz a fonte.

O problema reside noutro aspecto. Além de ter realmente dado munição ao adversário deixando que ele pulverizasse sua condição de opositor a qualquer preço, pois revelado o encontro, mantido em segredo por Galinho, é difícil convencer o eleitor que tem ojeriza aos deuses disso, o vereador esqueceu os vídeos onde mostrava, dia sim e no outro também, o desmantelo da gestão.

Onde estão os vídeos do Hospital Municipal?, onde estão os vídeos de tudo que não vai certo?, e mesmo nos últimos discursos na Casa, houve arrefecimento no tom.

Galinho começa sempre dizendo que tem Luiz de Deus (PSD) como “prefeito ilibado”, como se Luiz fosse a rainha da Inglaterra que existe na gestão apenas como peça decorativa, que não controlasse o que vai bem e, principalmente, o que vai mal.

Um exemplo: quem hoje mantém a despeito de tudo e de todos, o secretário de Cultura e Esportes Jânio Soares, que nunca deu ousadia de atender a uma convocação da Câmara [e a Câmara, por seu turno, se passa por secretaria do prefeito] para prestar esclarecimentos à comunidade é Luiz de Deus, logo, se há problemas na pasta dele, a culpa não é de Jânio, convenhamos.

É ridículo esse excesso de sabujice vindo de opositor. O que vai certo numa prefeitura é obra do prefeito e contrário também.

Se o vereador ainda quiser manter sua base unida, é melhor agir com transparência, porque o almoço ficou engasgado.

Eu ainda quero acreditar que o profeta é de carne e osso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.