contato@ivonelima.com.br

Paulo Afonso-BA, 21 de maio de 2022

Galinho cobra concurso público e depois derrama-se em elogios ao prefeito

Postado por:

Share on facebook
Share on whatsapp
DSCF3267

PAULO AFONSO-  Até a fala do vereador Mário Galinho (SD), na sessão de abertura da Câmara Municipal desta 2ª feira (18), a presença do prefeito Luiz de Deus (PSD) e do deputado federal Mário Júnior (PP), dava ao Parlamento um ar de compadrio que causou imenso marasmo na plateia só quebrado pelos verbos no imperativo gritados por Galinho.


Prefeito Luis de Deus em sessão solene da Câmara Municipal.

O parlamentar lembrou ao prefeito aquilo que a Justiça parece ter esquecido e perguntou quando haverá (se é que um dia vai mesmo ocorrer o tal concurso público?), depois disse que era preciso continuar a reforma administrativa que, a bem da verdade, só demitiu algumas pessoas e aumentou o salário de outras.

“Nós temos processos seletivos acontecendo seu prefeito e o senhor sabe disso. Alguns foram cancelados, e eu quero conversar com o senhor sobre isso, porque eu não tenho rabo preso com ninguém tenho compromisso com o povo de Paulo Afonso.”

Galinho afirmou que é preciso inovar com os políticos, olhando para um prefeito oxagenário que, tudo indica, não vai largar assim tão fácil o poder.

Contudo, mesmo Mário Galinho, único sobrevivente na oposição, foi, digamos, elogioso em demasia.

“Eu tenho certeza que o senhor não vai parar (referindo-se às ditas reformas) e tenho certeza que o povo não quer que o senhor pare. ”

Vamos lá: desde quando o povo se interessa por reforma do quadro administrativo, se o que se vê por aí é apenas a troca de seis por meia dúzia? Vamos mais: quais feitos fez o prefeito Luiz de Deus até agora, passados mais de dois anos de sua gestão, que mereça a enaltação dispensada a ele pela unanimidade dos parlamentares?

Só há uma resposta: todo mundo quer, pelo sim e pelo não, uma casquinha da máquina pública e sabe que se enfrentar o governo cobrando-lhe como se deve ficará engessado.

Se há, meu caro parlamentar, como você lembrou, “questões sérias” que podem comprometer o futuro “limpo” do prefeito a culpa por isso não é de terceiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.